Semana passada, meditamos Jesus no deserto com as tentações. Hoje
meditaremos Jesus no Monte Tabor em oração. É lá que acontece a
transfiguração, ou seja, Jesus revela realmente quem ele é: filho de
Deus, o escolhido.
Ao contrario da Lei, Jesus sobe ao monte para estar a sós porque ali a
multidão não estaria. Até o tempo de Jesus o povo subia ao monte para
fazer sacrificios principalmente com animais – era um ritual com sangue.
Jesus muda radicalmente este experiência.
A transfiguração de Jesus acontece no momento de oração, de intimidade
com Deus. É nesse momento que acontece uma transformação, uma
metamorfose que mexe com o corpo e até mesmo as vestes de Jesus.
A oração é o ato mais puro e profundo que uma pessoa pode oferecer a
Deus. Quando um homem ou mulher fala com Deus, esse também pode
transfigurar, ou seja, a gloria de Deus pode aparecer e permanecer.
Jesus em sua oração entra mais profundamente na missão, aderindo a
vontade de Deus, mostrar que a oração verdadeira é unir a nossa
vontade à de Deus. Para nós Cristãos, rezar não significa sair da
realidade e das responsabilidades que temos.
Pedro infelizmente cai em tentação quando fala a Jesus o seu desejo de
permanecer no monte, montando três tendas. Aqui vemos a fragilidade
de Pedro que falta coragem, determinação e até mesmo fé, de acreditar
que será capaz de lidar com as dificuldades do dia a dia.
A presença da nuvem e da voz é significativa no evangelho de hoje: a
nuvem representa a manifestação da presença de Deus e a voz que
indicam duas coisas: a primeira que fala da filiação divina de Jesus – Este
é o meu filho, o escolhido – segundo do mandato que é necessário
escutá-lo.
Caros irmãos e irmãs, é bom lembrar sempre: Cada eucaristia constitui
uma experiência de Tabor. Ela ilumina e fortifica a caminhada do cristão.

Amém

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *