Quem
enviarei? E quem irá por mim? Essa pergunta que Deus fez a Isaías e faz a cada
um de nós. Deus conta conosco para a missão de anunciar a sua Palavra.

Às
vezes  podemos nos sentir como Isaias: Ai
de mim, estou perdido! Sou apenas um homem de lábios impuros.  Muitos se sentem indignos para fazer algo
para Deus e para os irmãos. Porém, não fazem nada para se converter, continuam
com os mesmos discursos e atitudes.

Isaias
faz a experiência do perdão, de tirar toda a culpa. Nesse momento ele ganha
condições para assumir a sua missão. Ele se coloca a caminho. Aqui estou!
Envia-me.

São
Paulo na segunda leitura nos recorda que através da graça de Deus que nos tornamos
o que somos. Se algum momento eu era esteril pela graça de Deus, novo homem eu tornei-me.

Realmente
Deus age em nossa vida, porém é necessário deixa-lo conduzir o nosso caminho.
No evangelho vemos que Jesus escolheu uma das barcas para entrar. Não era
possivel entrar nas duas barcas ao mesmo tempo. Ele entra na barca dos
discipulos.

A
barca dos discipulos estava daquele jeito: eles estavam guardando as suas
ferramentas, lavando. Mas Jesus por estar junto deles faz uma provação a Pedro:
Avança para águas mais profundas.

Pedro
começou a lamentar: Nós trabalhamos a noite inteira e nada pescamos.  Mas mesmo assim fez o que Jesus falou. Quando
um homem ou uma mulher são capazes de fazer o que Jesus fala, as suas vidas se
transformam. Eles são capazes de ver a realização, a vida que brota.

O
termino do evangelho conta o que irá acontecer com cada um de nós, que somos
batizados e cremos em Cristo: Seremos pescadores de homens. 

Os
discipulos deixaram tudo e seguiram Jesus – ou seja, eles não colocaram nada no
lugar do seguimento ao Cristo. Que Jesus nos dê a graça de segui-lo sempre.
Amém.