“…todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes”

Hoje encerramos o Ano litúrgico com a Festa de Cristo Rei, para lembrar a todos os cristãos o que acontecerá com a humanidade e toda criação, seremos governados pelo amor salvífico do Reinado do Cristo Redentor.

Rei é um titulo inapropriado para Jesus. Como assim? Ele tocou leprosos, tinha como opção os pobres e excluídos, lavou os pés dos seus discípulos, não tinha riqueza alguma.

Realeza de Jesus consiste num amor incondicional. Ele nunca se proclamou Rei. Ele se coloca como aquele que veio para servir.  Aqui entra uma questão: eu nesse mundo, qual é o meu lugar?  O que faço aqui? Qual é a minha missão? Jesus veio para servir, para agregar, para promover a paz, para dar sabor na vida das pessoas.

Jesus é Rei porque deixa transparecer sua realeza que expressa uma verdadeira humanidade e divindade. Ele é um rei sem tomar o poder como principio, mas o serviço.

As leituras de hoje nos ajudam a entender a dinâmica do Reinado de Deus.  O profeta Ezequiel expressa a atitude de Deus com a humanidade: Ele mesmo procura as suas ovelhas e toma conta. Ele não delegada para outros. “ Eu mesmo vou apascentar minhas ovelhas”.

São Paulo nos lembra uma verdade de fé: se por homem veio o pecado, em Cristo somos redimidos pelo seu amor. Ele destrói o mal e a morte. O fim será o reinado de Cristo sobre o mundo.

Evangelho fala que o mais importante não é apenas acreditar em Cristo, mas tornar se um outro Cristo no mundo. Agir e pensar como Jesus. Amar com atitudes e fazer o que precisa ser feito. Lembra sempre que qualquer ato que realizado é ao próprio Cristo que realizamos.

Peçamos a Jesus que reine sobre nós! Que nos conceda o seu Espirito para humanizar e evangelizar um mundo tão dilacerado por maldades e egoismo. Que o Sagrado Coração de Jesus reino sobre nós!

Por Pe. Bennelson

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *